• Cetric é a primeira empresa catarinense a utilizar caminhões adaptados com biogás, gerando menos impacto ao meio ambiente.

    by  • 31 de outubro de 2019 • Notícias • 0 Comments

    Já são quatro caminhões abastecidos com biogás.

     

    Quando o assunto é preservação ambiental, a Cetric se destaca. Isso porque, além de oferecer serviços voltados para o tratamento de resíduos, está sempre inovando e buscando por soluções que poluam menos o ambiente. O exemplo mais recente, que mostra esse compromisso com o planeta, está na utilização de caminhões adaptados para o uso de biogás, gás natural que substitui o uso de combustíveis derivados de petróleo.

    A Cetric é a primeira empresa catarinense a utilizar biogás para abastecer seus veículos. Essa fonte de energia renovável é gerada a partir de matéria-prima orgânica. De acordo com a engenheira química da Cetric, Loana Defaveri Fortes, desde agosto já são quatro caminhões e um veículo utilitário movidos a biogás. Cada caminhão utiliza aproximadamente 150 m³ de gás e a estimativa é percorrer até 500 km. O abastecimento acontece dentro da própria Cetric.

    Em janeiro de 2015, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) regulamentou a utilização de biometano (gás oriundo do biogás) no Brasil, por meio da resolução n°8, de 30 de janeiro de 2015.

    A partir disso, o biometano passou a ter a mesma utilidade do gás natural e a mesma valoração econômica, desde que sejam cumpridas as exigências de qualidade do produto estabelecidas na resolução.

    Essa regulamentação trouxe muitos benefícios. “O biogás é, com certeza, uma importante fonte energética que pode substituir combustíveis derivados de petróleo, como a gasolina e o diesel, contribuindo, então, para minimizar as emissões de gases de efeito estufa na atmosfera. A purificação do biogás e, consequentemente, a geração do biometano, é uma possibilidade economicamente vantajosa e viável do ponto de vista ambiental, possibilitando enriquecer a matriz energética no Brasil”, explica Loana.

     

    Como funciona?

    Por meio dos biodigestores anaeróbios instalados na Cetric, o processo de decomposição dos resíduos orgânicos é acelerado, transformando-os em forma gasosa, chamada de biogás.

    O processo para a purificação do biogás se inicia com a remoção de enxofre e seus derivados, utilizando-se um leito de redução de enxofre ao estado coloidal (quando as partículas são muito pequenas e não podem ser vistas a olho nu) com óxido de ferro. Logo após, o biogás com baixos teores de enxofre é pressurizado, filtrado e desumidificado, permitindo a eficiência do absorvedor para a remoção dos traços restantes de enxofre e gás sulfídrico, ocorrendo, também, a remoção do gás carbônico e a secagem do metano com um ponto de orvalho inferior a –45ºC, dessa forma gerando metano gasoso. Esse processo é realizado atendendo aos padrões referentes ao gás natural da ANP-16 para a região sul e sudeste do Brasil.

    Segundo Loana, todo o gás produzido é analisado nos seus teores de oxigênio, CH4 e CO2, permitindo, assim, total segurança ao funcionamento e à operação. Caso haja falha do sistema de captação, permitindo a entrada de ar, um alarme é acionado. Além disso, todo o equipamento utilizado para produção do biogás é fabricado em aço carbono, tubulações e válvulas de processo adequadas à aplicação, utilizando componentes elétricos à prova de explosão, bem como, acessórios necessários ao bom funcionamento do equipamento, nas condições específicas de cada aplicação.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *